Author Diana Galvao

Galvão prestigia formatura da ONG João de Barro em Itu

ONG João de Barro forma 200 alunos em cursos Culturais, esportivos e profissionalizantes

Foi realizada na noite de 29 de janeiro (quarta-feira), no Salão Nobre do IBAO em Itu, a formatura dos cursos promovidos pela ONG João de Barro ao longo do ano de 2019. O evento contou com a presença de formandos, familiares e todos os professores da entidade, que oferece capacitação profissional para a população ituana.

Estiveram presentes o vereador Dr. José Galvão Moreira Filho, que fundou a ONG, e sua esposa Diana Galvão, atual presidente. “Foi um sucesso, o IBAO ficou lotado. Fiquei emocionada ao ver o trabalho da ONG refletindo na vida de tantas pessoas”, celebra Diana sobre mais uma formatura realizada pela João de Barro.

Além da entrega de certificados aos formandos, houve também apresentações artísticas. A professora do curso de Libras (Língua Brasileira de Sinais) realizou uma apresentação musical com a linguagem usada para comunicação entre deficientes auditivos.

Foram certificados os alunos dos cursos de Inglês Básico, Informática, Libras, Taekwondo, Barbeiro, Cabeleireiro, Maquiagem, Manicure e Pedicure, Design de Sobrancelhas, Técnicas em Administração, Técnicas em Recursos Humanos, Ferramentas da Qualidade e Auxiliar Odontológico.

 

ONG João de Barro arrecada meias velhas para fazer cobertores para quem precisa

Projeto em parceria com a empresa Puket transforma meias velhas em cobertores

 

Talvez, você pense que um único par de meias não faz muita diferença para quem precisa se proteger das baixas temperaturas que este ano promete. Mas, se juntarmos milhares de pares de meias e transformá-las em cobertores, a gente começa a pensar diferente.

Há seis anos, a empresa Puket criou o projeto Meias do Bem. A iniciativa já arrecadou mais de 1 milhão de pares de meias e impactou mais de 300 mil pessoas, moradores de abrigos e em situação de rua. Agora o projeto está sendo implantando na cidade de Itu através da ONG João de Barro.

“O objetivo da nossa participação é saber que podemos usar algo que seria jogado fora para ajudar alguém, assim como contribuir com o meio ambiente. Estamos muito felizes, pois temos o objetivo de ajudar moradores de rua com o projeto Meias do Bem, e esta campanha contribuirá para enriquecer essa ajuda”, conta o fundador da ONG, José Galvão.

Para doar, basta ir até a ONG João de Barro na Rua Convenção, 144 Centro de Itu e depositar suas meias em uma urna na recepção da entidade. E se você tiver apenas um pé, ou, ainda, se a meia estiver furada ou rasgada, não tem problema! A doação terá a mesma serventia que um par de meias em bom estado. O Meias do Bem só não recebe meias sociais e meias-calças, já que são elaboradas com um tecido que não pode ser reaproveitado nos cobertores.

São várias etapas para este processo, uma transportadora contratada percorre todos os pontos de venda no Brasil inteiro para reunir as doações. As meias, em seguida, são higienizadas, trituradas e passam por todo o processo necessário até se transformarem em cobertores. Para fazer um cobertor de casal, por exemplo, são necessários 40 pares de meias.

A ONG João de Barro possui hoje diversos projetos ambientais e sociais, como: Coleta de Óleo de Cozinha usado, Troca de Lacres por Cadeira de Rodas, Coleta de Latinhas para confecção de ferramentas, Coleta de pilhas e baterias para o descarte correto, Projeto de Corte de Cabelo em regiões de vulnerabilidade social, entre outros. “Agora estamos com mais essa iniciativa, que deveria servir de exemplo para outras empresas na região, iniciativas como esta tornam o negócio mais sustentável e provam seu comprometimento social e ambiental com a sociedade”, explica a presidente da ONG, Diana Galvão.

 

 

 

Pontos de Coleta:

 

Loja Love Brands Itu

  1. Floriano Peixoto, 621 – Centro, Itu

Segunda à Sexta das 9h às 18h

Sábado das 8h às 14h

 

ONG João de Barro Itu

Rua Convenção, 144 Centro de Itu

Segunda à Quinta das 8h às 22h

Sexta das 8h às 18h

Viver em Itu é bom, mas falta muita coisa

A equipe do programa Fala Galvão saiu as ruas nesta última semana para saber o que o povo quer para Itu. Centenas de pessoas foram entrevistadas e através das respostas foi possível identificar e classificar algumas prioridades que o povo espera.
A maioria respondeu que ama a cidade, mas sente muita falta de um atendimento na área da Saúde com qualidade, o assunto destaque foi a saúde devido o atual prefeito ter prometido a reabertura do Hospital São Camilo, e infelizmente ficou só na promessa.
Outra assunto que gerou muita discussão foi a falta de emprego, muitos relatam que estão desempregados há quatro anos, são pessoas que já perderam a esperança e estão buscando outras alternativas para conseguir um sustento para a família.
Para os adultos, Itu é uma boa cidade para se viver, embora reconheçam que é preciso acelerar mais as ações na área de saúde, oportunidades de emprego e segurança.
Já os jovens, não vêem Itu com nenhum entusiasmo. O limite, para eles, é a falta de oportunidades nos três principais pilares de suas vidas: trabalho, estudo e lazer. Em relação ao trabalho, querem o desenvolvimento para conseguir trabalho e uma melhor remuneração. Diante deste quadro, acham que sair de Itu em busca de trabalho e melhores condições em cidades vizinhas e até na capital é uma alternativa inevitável para muitos.
Quanto ao estudo, reclamam da inexistência de faculdades públicas e instituições que ofereçam cursos profissionalizantes gratuitos. Dizem que querem estudar, mas não sabem como.
No item lazer, a sensação de falta de alternativas é comum a todos. A demanda é por danceterias, parques de diversão, quadras esportivas, piscinas públicas etc. Resumindo, os jovens ituanos têm a sensação de exclusão, de que a cidade não é deles. Eles se sentem na “antiguidade” e, para a maioria dos entrevistados, a responsabilidade é do Prefeito, dos políticos, dos “conservadores” como eles mesmos dizem.
Um destaque também foi pela falta de acessibilidade que norteiam o município, “sentimos que Itu não tem um trabalho de inclusão isso nos gera revolta” destaca uma das jovens entrevistada.

 

Galvão comenta caso das rinhas de Pitbulls em Itu

“Estamos comovidos com todas essas notícias barbáries sobre o caso das rinhas de Pitbull em nossa cidade. Estou acompanhando o noticiário e também as ações da @aspaitu e também de outras ONGs como a @ongpitsales no qual contou algumas das atrocidades cometidas” comenta o vereador Dr. José Galvão. Os cães passavam fome tornando-se agressivos, uma camiseta do “campeonato” foi encontrada no local dizendo se tratar de um circuito nacional/internacional, em sua 17ª edição.

Segundo Alessandro da @ongpitsales, “a rede de rinhas de pitbulls é muito grande, isso não é nem a ponta do Iceberg. Vem acontecendo há anos, uma máfia que gera muito lucro: tem cão que vale R$100 mil, cão que vale R$200 mil. Há apostas altíssimas”.

Da chácara em Itu, ele conta que era um cenário horrível e que “o cara [dono da chácara] mexe com magia negra, sacrifício de animais”. Entre os detidos que foram liberados estão o veterinário e o médico, que, segundo a Polícia Civil, eram responsáveis por reanimar os cães machucados durante as lutas.

O “campeonato internacional” de briga de animais oferecia troféu, tinha camiseta estampada com a programação e até carne de cachorro assada, os cães que morriam nas brigas eram assados e servidos para os participantes, depois o que sobrava era dado como troféu aos cães vencedores.

Nesta segunda-feira, 16, a Comissão Especial da Câmara dos Deputados sobre maus-tratos aprovou um substitutivo de um projeto para aumentar a pena de quem fere, abusa ou mutila animais. O texto prevê reclusão de dois a cinco anos, multa e proibição de guarda de animal. A Lei de Crimes Ambientais atual determina detenção de três meses a um ano para casos de violência contra animal.

“É lamentável sermos surpreendidos com essas notícias. É preciso leis onde essas pessoas possam ser punidas realmente e que sejam inafiançáveis” finaliza Galvão.

Galvão participa do Fórum do 3º Setor

A abertura da 7ª edição do Fórum Permanente do 3º Setor, realizada na tarde da última quarta-feira, 27 de novembro, contou com a presença do presidente da Câmara, Givanildo Soares da Silva (Giva), do vice-prefeito Dr. Caio Gaiane, dos vereadores Rodrigo Macruz, Dito Roque e Dr. José Galvão, da diretora-presidente do Instituto do Legislativo Ituano, a jornalista Regina Lonardi, do secretário de Promoção e Desenvolvimento Social César Calixto, do secretário de Educação Walmir Scaravelli e da ex-vice-prefeita Maria do Carmo Carneiro.

Durante a cerimônia foi transmitido um vídeo da Secretária Estadual de Desenvolvimento Social, Célia Parnes, gravado especialmente para o evento.

O secretário de Promoção e Desenvolvimento Social César Calixto foi o primeiro palestrante da tarde e falou sobre “Articulação do Poder Público com o Terceiro Setor”, ressaltando o empenho de sua pasta em contribuir com o importante trabalho desenvolvido pelas instituições sociais da cidade.

Em seguida, o mobilizador da Fundação SOS Mata Atlântica, Lucas Oliveira, abordou o tema “Comunicação e Mobilização de Recursos no Terceiro Setor”. Já o advogado Dr. Francisco Antônio Miranda Rodriguez falou sobre os “Aspectos Jurídicos das Parcerias entre o Município e o Terceiro Setor”.

A última palestra da tarde ficou por conta do professor e Coordenador-geral de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão do CEUNSP, Edson Cortez, que trouxe o tema “A universidade como parceiro do Terceiro Setor: caminhos e possibilidades”.

“Pela avaliação dos participantes do primeiro dia, todas as palestras foram muito úteis para as entidades, com esclarecimentos e dicas para melhorar a atuação e o fortalecimento das OSCs”, destacou a diretora-presidente do ILI, Regina Lonardi.

“Instituído pela Lei Municipal Nº 1312/2011, o Fórum Permanente do 3º Setor é realizado pela Câmara de Itu através do Instituto do Legislativo Ituano (ILI), em parceria com a Secretaria de Promoção e Desenvolvimento Social.

Projeto do Prefeito cria novas normas para utilização dos boxes e gera polêmica entre os comerciantes que há mais de 30 anos sobrevivem no Mercadão

A reinauguração é esperada por todos, mas infelizmente os critérios estabelecidos pelo Prefeito geram insegurança nos poucos lojistas que restam.

“Espero que avaliem as emendas apresentadas pela oposição, enxergando a necessidade das pessoas que estão no local há mais de 30 anos, não são muitos, mas foram eles que garantiram a sobrevivência do mercado até hoje mesmo na situação precária em que se encontrava”, explica Galvão.

A emenda apresentada pelo vereador Dr. José Galvão garante o direito de permanência de mais 5 anos dos atuais comerciantes e posteriormente participem do pregão tendo em vista que, são eles que estão passando pelas dificuldades das instalações provisórias há mais de anos.

O projeto de Lei que tramitou hoje pela Câmara de Vereadores estabelece como critério o julgamento de maior lance ou oferta que será estabelecido pela Prefeitura através de edital. “Entendemos a necessidade da regularização, mas não podemos deixar de olhar o esforço dos comerciantes em lutar para sobreviver e manter esse patrimônio da nossa cidade”, finaliza.

Câmara entrega Medalha e Diploma Pastor Daniel Berg

A Câmara de Itu outorgou, na noite de ontem, a Medalha e Diploma Daniel Berg ao Pastor e reverendo Jonathan Ferreira dos Santos, fundador da Associação Educacional e Beneficente Vale da Bênção (AEBVB) em Araçariguama/SP.

Um projeto que resgata milhares de crianças, adolescentes e famílias em vulnerabilidade social. Atualmente o Vale da Bênção desenvolve atividades na Cidade da Criança, Creche Gotinhas de Vida, Vou Vencer – Adolescente Aprendiz, Arte & Vida e no Programa Ler para Transformar, em Araçariguama.

O Dr. José Galvão, autor do projeto não esteve presente. “Infelizmente por conta da cirurgia, ainda preciso ficar em repouso e não pude estar presente, mas minha esposa Diana Galvão e o Pastor Abraão Silva me representaram muito bem, agradeço à todos que organizaram e participaram deste grande evento”, diz.

Estiveram presentes na solenidade o vice prefeito, Caio Gaiane, Presidente da Câmara Givanildo Soares da Silva, os vereadores: Thiago do Alvorada, Maria do Carmo Piunti, Normino da Rádio, o deputado estadual Rodrigo Moraes, o ex prefeito Lázaro José Piunti pastores e familiares do homenageado.

 

Por motivo de saúde, Galvão se afasta por 30 dias da Câmara de Vereadores

O vereador José Galvão (DEM) pediu licença por um período de 30 dias da Câmara Municipal. O afastamento por motivos particulares para que o vereador possa dar andamento em uma cirurgia valerá para o período entre 9 de outubro a 12 de novembro.

Segundo o vereador o prazo de 30 dias se torna necessário para a sua recuperação em decorrência do pós-operatório, esclarece Galvão.

Durante o período em que permanecer afastado de suas funções, o vereador não receberá seus vencimentos salariais.

Com a necessidade de seu afastamento conforme Regimento Interno do Legislativo e na Lei Orgânica do Município, é necessário que o presidente da Câmara convoque o suplente para assumir sua cadeira por 30 dias.

“No próximo dia 14, estarei me internando e na sequência passando pela cirurgia, peço as orações de todos e tenho fé que já deu tudo certo”, afirma Galvão.

Galvão tem contas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo

Vereador teve as contas aprovas quando foi presidente do Legislativo em 2017

O vereador Dr. José Galvão anunciou para a imprensa na última sexta-feira (27/10), antes do início de mais uma edição do “Café com Vereador”, a aprovação das contas do Legislativo ituano no exercício de 2017, quando foi presidente da Câmara.

Com o acórdão do TCESP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) apontando a regularidade, com recomendações das contas da Câmara no referido ano, José Galvão comemorou a notícia. “Recebo com muita alegria e satisfação a nossa aprovação de contas”, disse o edil.

Galvão enalteceu o trabalho do Dr. Renato Borba, que foi diretor jurídico do Legislativo durante a presidência do vereador. Ele ainda destacou o desafio que foi, visto que as contas anteriores (2014 e 2015) foram rejeitadas e a de 2016 está sub judice.”Não foi fácil, porque o primeiro ano do governo é mais difícil. Houve uma reestruturação na Câmara, nós mudamos alguns pontos importantes como trazer uma empresa especializada, que presta serviço para mais de 150 prefeituras e câmaras, que é a Conam. Fizemos uma série de reestruturações, diminuímos em 50% os cargos de assessores, que era uma exigência do TCE”, disse Galvão.”A gente sempre pautou nosso mandato com a ética, com a transparência, com a seriedade com a coisa pública”, disse, relembrando a devolução de verba da Câmara para a Prefeitura (quase R$ 11 milhões).

*Matéria publicada no Jornal Periscópio 02/10/2019

Galvão propõe instalação de eliminador de ar na rede de água em Itu

Projeto de Lei prevê instalação de equipamento eliminador de ar na tubulação de água disponibilizada pela CIS

O vereador Dr. José Galvão protocolou um Projeto de Lei que tem como objetivo garantir ao consumidor o direito de instalação de equipamento eliminador de ar na tubulação do sistema de abastecimento de água residencial ou comercial.

Galvão destaca que é recorrente as tubulações das redes de abastecimentos de água, quando desligadas por motivos operacionais ou em função de crise hídrica, necessitar de total ou parcial esgotamento da tubulação. Desse modo, quando a rede é novamente operacionalizada por questões técnicas é necessário a presença de pressão proveniente de ar comprimido para que a água consiga adentrar ao sistema de distribuição, fazendo com que os hidrômetros registrem o consumo, penalizando os consumidores.

“Os redutores de ar são dispositivos que se destinam a eliminar o ar existente em tubulações do sistema de abastecimento de água. Devem ser colocados antes dos hidrômetros e tem como objetivo impedir que o ar seja calculado na conta mensal de água do consumidor, além de preservar a vida útil dos hidrômetros, que giram em alta velocidade por conta do ar expelido na tubulação”, explica o vereador.

O vereador ressalta ainda que ao pagar a conta de água, o consumidor paga também pelo ar que passa pelo cano. Segundo estudos, este ar é pago como água e pode significar cerca de 40% a mais da contagem dos metros cúbicos e, consequentemente, maior valor na conta. Em algumas regiões esse cálculo pode gerar prejuízo aos consumidores de até 80%.

As despesas de aquisição e instalação do equipamento correrão por conta do consumidor que solicitar à CIS (Companhia Ituana de Saneamento)O projeto transitou pelas Comissões e foi rejeitado. Galvão diz que já entrou com recurso. “Não é justo a nossa população pagar por algo que não foi consumido. O mesmo projeto já foi aprovado em Votorantim, Sorocaba, Sumaré, Americana, São José do Rio Preto e Itapetininga. Somente em Itu foi negado”.