Galvão propõe instalação de eliminador de ar na rede de água em Itu

Galvão propõe instalação de eliminador de ar na rede de água em Itu

Projeto de Lei prevê instalação de equipamento eliminador de ar na tubulação de água disponibilizada pela CIS

O vereador Dr. José Galvão protocolou um Projeto de Lei que tem como objetivo garantir ao consumidor o direito de instalação de equipamento eliminador de ar na tubulação do sistema de abastecimento de água residencial ou comercial.

Galvão destaca que é recorrente as tubulações das redes de abastecimentos de água, quando desligadas por motivos operacionais ou em função de crise hídrica, necessitar de total ou parcial esgotamento da tubulação. Desse modo, quando a rede é novamente operacionalizada por questões técnicas é necessário a presença de pressão proveniente de ar comprimido para que a água consiga adentrar ao sistema de distribuição, fazendo com que os hidrômetros registrem o consumo, penalizando os consumidores.

“Os redutores de ar são dispositivos que se destinam a eliminar o ar existente em tubulações do sistema de abastecimento de água. Devem ser colocados antes dos hidrômetros e tem como objetivo impedir que o ar seja calculado na conta mensal de água do consumidor, além de preservar a vida útil dos hidrômetros, que giram em alta velocidade por conta do ar expelido na tubulação”, explica o vereador.

O vereador ressalta ainda que ao pagar a conta de água, o consumidor paga também pelo ar que passa pelo cano. Segundo estudos, este ar é pago como água e pode significar cerca de 40% a mais da contagem dos metros cúbicos e, consequentemente, maior valor na conta. Em algumas regiões esse cálculo pode gerar prejuízo aos consumidores de até 80%.

As despesas de aquisição e instalação do equipamento correrão por conta do consumidor que solicitar à CIS (Companhia Ituana de Saneamento)O projeto transitou pelas Comissões e foi rejeitado. Galvão diz que já entrou com recurso. “Não é justo a nossa população pagar por algo que não foi consumido. O mesmo projeto já foi aprovado em Votorantim, Sorocaba, Sumaré, Americana, São José do Rio Preto e Itapetininga. Somente em Itu foi negado”.

Deixe uma reposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *