José Galvão é contra aumento de cargos comissionados na CIS

José Galvão é contra aumento de cargos comissionados na CIS

Vereador votou contra projeto de reorganização administrativa da autarquia

O vereador Dr. José Galvão Moreira Filho (DEM) votou contra o Projeto de
Lei Nº 28/2019, que promove uma reorganização administrativa da CIS
(Companhia Ituana de Saneamento). Na prática, a propositura de autoria
do Executivo municipal aumenta a quantidade de cargos comissionados na
autarquia.
Galvão destacou uma reunião que a oposição teve com o corpo técnico da
CIS, por intermédio do líder Ricardo Giordani (PTB), para pontuar
alterações. Algumas foram atendidas. De acordo com o vereador, isso
mostra seu compromisso com Itu. “Apesar de sermos oposição, nós
queremos o bem da cidade”, afirmou durante a votação.
O vereador ponderou quatro pontos do projeto. Um deles é a redação.
“Mesmo vindo um substitutivo para a Casa, apresenta algumas
dificuldades”, disse. O segundo ponto foi exatamente a criação de mais 14
cargos, comissionados e concursados. “Mais uma vez vai onerar os cofres
públicos”, alegou. “Não há necessidade de mais cargos”.
O terceiro ponto citado pelo vereador é a reestruturação dos quadros dos
funcionários. “Infelizmente, conversando com os funcionários da CIS,
nenhum deles foram chamados para saber de suas carreiras”, apontou
Galvão no pronunciamento. “Como é uma marca desse governo, não
houve comunicação, não houve ao menos uma satisfação”.
Por último, Galvão destacou um dos artigos do projeto, que permite à CIS
celebrar convênio ou contrato de patrocínio para “fortalecimento de sua
marca”. De acordo com o vereador, “à revelia do Legislativo”, a CIS já faz
isso, uma vez que patrocina a equipe de basquete feminino do Ituano.
“Se esse parágrafo está na lei, pedindo a autorização dessa Casa de Leis,
entendo eu que é para legalizar uma ilegalidade, porque na verdade já faz
um tempo que a CIS patrocina o basquete e outras modalidades
esportivas”, justificou o edil. Apesar dos apontamentos, o projeto foi
aprovado por nove votos a três em primeira discussão.

Deixe uma reposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *